WhatsApp  (11) 94482-9757 , (11) 2532-0272

 

 

Qual o melhor tratamento para Autismo?

 

Os cientistas concordam que quanto mais cedo a criança recebe serviços de intervenção melhor o prognóstico da criança.

 

Pesquisas nos dizem que a intervenção precoce em um ambiente educacional apropriado por pelo menos dois anos antes do início da escola pode resultar em melhorias significativas para muitas crianças pequenas com transtornos do espectro do autismo (TEA). 

 

Assim que o autismo é diagnosticado, as instruções de intervenção precoce devem começar. Programas eficazes se concentram no desenvolvimento de habilidades de comunicação, sociais e cognitivas.

 

Os tratamentos mais eficazes disponíveis atualmente são:

 

  • Análise comportamental aplicada (ABA);
  • Terapia da fala (Fonoaudiologia);
  • Terapia ocupacional;
  • Fisioterapia e terapia farmacológica. 

 

Na verdade a junção de todas essas terapias forma o programa de tratamento para o Autista. Esse programa trabalha para minimizar o impacto dos déficits associados ao TEA e maximizar a independência funcional e a qualidade de vida. 

 

Análise Comportamental Aplicada (ABA)

Trabalha para alterar sistematicamente o comportamento com base nos princípios de aprendizado derivados da psicologia comportamental. A ABA incentiva comportamentos positivos e desencoraja comportamentos negativos. Além disso, a ABA ensina novas habilidades e as aplica a novas situações!

 

Terapia da fala (Fonoaudiologia)

Como as pessoas com TEA apresentam déficits na comunicação social, a terapia da fala é uma importante opção de tratamento. A terapia da fala com um fonoaudiólogo licenciado ajuda a melhorar as habilidades de comunicação de uma pessoa, permitindo que ele expresse melhor suas necessidades ou desejos. Para indivíduos com TEA, a terapia da fala costuma ser mais eficaz quando os fonoaudiólogos trabalham com professores, pessoal de apoio, famílias e colegas da criança para promover a comunicação funcional em ambientes naturais.

eighteenmos844.jpg

Terapia Ocupacional (TO)

A terapia ocupacional é frequentemente usada como tratamento para os problemas de integração sensorial associados aos TEAs. Também é usada para ajudar a ensinar habilidades para a vida que envolvem movimentos motores finos, como vestir, usar utensílios, cortar com tesoura e escrever. O TO trabalha para melhorar a qualidade de vida do indivíduo e sua capacidade de participar plenamente das atividades diárias. Cada programa de terapia ocupacional é baseado em avaliações e objetivos individuais. A terapia ocupacional para crianças pequenas com TEA geralmente se concentra em melhorar a integração sensorial e problemas sensório-motores. Em crianças mais velhas, o TO freqüentemente se concentra na melhoria do comportamento social e no aumento da independência.

 

Fisioterapia

A fisioterapia é usada para melhorar as habilidades motoras grosseiras e lidar com problemas de integração sensorial, particularmente aqueles que envolvem a capacidade do indivíduo de sentir e estar ciente de seu corpo no espaço. Semelhante ao TO, a fisioterapia é usada para melhorar a capacidade do indivíduo de participar das atividades diárias. O fisioterapeuta trabalha para ensinar e aprimorar habilidades como caminhar, sentar, coordenar e equilibrar. A fisioterapia é mais eficaz quando integrada a um programa de intervenção precoce.

 

Terapia Farmacológica

Uma gama de medicamentos podem ser utilizados no Autismo no intuito de melhorar a qualidade de vida. Cabe ao médico especialista definir os mais adequados a necessidade de seu filho.

 

Fonte: Autism Science Foundation

 

Seu filho é autista? Gostaria de mais informação a respeito? Visite nossa página sobre Autismo, clique Aqui!

 

Gostou desse conteúdo? Quer receber mais informações, dicas e relatos sobre as doenças neuromusculares e doenças raras? Inscreva-se em nosso Mailing!!! Clique no botão abaixo!!!